Reconhecer é preciso

Nessa esculhambação toda que virou a descoberta de que a família Bozo não é tão honesta assim eu só fico pensando nos assessores parlamentares que eles contrataram todos esses anos calados diante de tudo.

Eu [também] sou culpado
Quem não tiver pecados…

No fim, o Brasil é isso aí: um bando de gente desonesta e capaz de qualquer coisa pra ganhar a vida, com mais ou menos ganância.

Felizmente não se trata da maioria, mas ocorre em número suficiente pra desencadear uma descrença nos políticos prejudicial à menor chance de avanço no desenvolvimento do país.

Tenho pra mim que qualquer avanço que se busque deve partir desse reconhecimento. Da aceitação de que em alguma medida contribuímos pra este cenário e daí buscarmos meios de sanear isso.

A grande questão é quando começaremos a ter disposição pra compreender o quanto isso faz parte de nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.